Perfil do diretor



Antônio Carlile Holanda Lavor nasceu em Jucás, no Ceará. Médico, formado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), tem formação em Microbiologia. Carlile Lavor trabalhou no Instituto de Medicina Preventiva do Ceará (IMEP-UFC), dirigiu o laboratório de microbiologia do Hospital das Clínicas e o laboratório do Hospital de Maracanaú.

Foi professor da Universidade de Brasília de 1969 a 1978. Lá construiu as bases do sanitarismo comunitário e iniciou as pesquisas, ainda na década de 70, para a construção do Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS), uma das marcas de sua gestão como secretário de Saúde do Estado, de março de 1987 a abril de 1988. Nesse período, contratou 6.000 agentes comunitários de saúde para um trabalho emergencial por um ano. Os agentes de saúde transformaram-se em programa permanente da Secretaria e, em 1991, foi adotado pelo Ministério da Saúde.

Carlile Lavor ajudou a criar o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-Ce), presidindo-o desde sua criação, em 1989, até 1991. Ex-prefeito de Jucás, presidiu a Associação dos Municípios do Ceará, dedicando-se especialmente à campanha de escolarização das crianças de 7 a 14 anos, contribuindo para a criação do Fundef. Premiado pelo Unicef, representou o Brasil no Encontro Internacional dos Prefeitos Amigos da Criança, realizado no México, em 1994. Na África, iniciou em 2007 a implantação do Programa Agentes Comunitários de Saúde em Luanda, Angola. Em 2014 ajudou o governo angolano a regulamentar o PACS.

Quando convidado a retornar à Secretaria da Saúde do Estado, em 2015, Carlile Lavor dirigia o escritório da Fundação Oswaldo Cruz no Ceará, para onde retornou, ainda em 2015, e ajudou na implantação da unidade da Fiocruz no Eusébio. Ele permanece como coordenador da Fiocruz Ceará.